Dell Latitude 3470

Os velhos novos rumos.

Ambientação

Desde 2011 minha máquina pessoal era um MacBook Air de 13". E me acostumei, durante os últimos 5 anos, a usar o sistema da  Apple, o OSX.

A aproximadamente 2 anos, meu carregador acidentalmente caiu em cima da tela do bichinho e estilhaçou o coitado. Apesar do rachão, ainda dava pra usar,  uma vez que o rachão não queimou pixels nem nada assim. O problema veio depois, com uns 8 meses naquela situação. O LCD começou a vazar. A mancha tomou quase a tela inteira e o uso somente do computador ficou impraticável. Então comecei a usá-lo como um "desktop", preso a um monitor externo. E como tal, funcionou muito bem durante um bom tempo.

Seis meses atrás, entretanto, devido a um acidente na rede elétrica da cidade onde morava, duas ruas inteiras tiveram seus eletros queimados. E para meu desespero, um dos eletros que eu tinha plugado na tomada naquele instante, era justamente a fonte de meu Mac.

Na época, uma fonte original, no site da Apple (que nem vende mais o modelo MagSafe 1), era em torno de uns 500~600 reais. Impraticável pra mim aquela altura.

O ocorrido casou com a liberação da lista de aprovados no ENEM 2016. Meu nome estava lá, para Bacharelado em Ciência da Computação, na UFPB. Decidi, então, que seria interessante deixar a antiga máquina de lado e comprar logo uma que me acompanhasse na nova caminhada em CC.

Escolhi Dell

Devido aos preços impossíveis que a Apple adota, resolvi estudar outras possibilidades.

Acredito que, se alguém procura computadores de alto desempenho estando no Brasil, inevitavelmente terminará entre os Dell e os Avell, depois de descartar os da Apple. Os Dell, por ser uma marca de respeito e muito bem-falada. Os Avell, por serem computadores de qualidade invejável a um preço apreciável.

O problema dos Avell é somente que aqui na PB não pude ─ nem conheço alguém que o tenha feito ─ testar, nem pegar na máquina, o que é uma pena. Fiquei com um pé atrás e deixei para a próxima.

Pesquisando no site da Dell, tento entender o que a empresa oferece a seus clientes com suas diversas linhas de notebooks. Percebo existir as linhas Inspiron, Vostro, Latitude e Precision. As duas últimas não são opções óbvias para o cliente comum enquanto se navega no site da Dell. Com efeito, se você seleciona computadores "Para Você", estas opções não são nem sequer consideradas.

Comecei a estranhar muitissimamente a diferença exorbitante de preços. Um notebook de 15 polegadas, gamer, Inspiron, processador i7 (da linha Q [MAIS CARA]), 8gb RAM, Placa NVIDIA 4gb, saía mais barato que um Latitude i7 (da linha U[MAIS ECONOMICO]), 8gb RAM, Placa NVIDIA 2gb. Mesmo o Latitude em questão sendo da série de entrada e o Inspiron sendo da série top de linha. Se a comparação fosse com a linha Precision, então, um modelo Precision com metade das configs de um Inspiron custaria o dobro do preço (pelo menos na data de escrita deste post).

Pesquisando, finalmente descobri a razão. Computadores Inspiron são projetados para o usuário comum. Feitos para durar na mão de pessoas comuns, que usam um computador de leve a moderadamente. Duram 3, 5 anos até começarem a ter baixas na carcaça, nos periféricos, e em peças mais sensíveis.

Depois de 3~5 anos, o senso comum acha que o computador, por mau uso do dono, comporta-se aceitavelmente em entrar em um processo de obsolescência. Isto foi agravado em modelos mais modernos,  com os componentes saindo soldados à placa mãe de fábrica. Ou seja, uma vez que os aplicativos atingirem um nível que seu hardware não mais suporta, você é forçado a comprar uma nova máquina ─ isto se ele não se desmanchar na sua mão antes.

A questão é que isto não precisa ser uma verdade. A linha Precision, por exemplo, extremamente potente e de espessura inversamente proporcional à potência (ou seja, potente, fino e leve), permite trocas de quase todos os seus componentes. É possível trocar RAM, Adaptador Wi-Fi, HD, e, em alguns casos, até a Placa de Vídeo. Não tive notícias se seria possível trocar a CPU mas não me surpreenderia se possível fosse. A linha Precision é extremamente durável, também, quando se fala em carcaça.

A Apple oferece uma mescla destas coisas. Ela dá ao usuário uma carcaça e componentes extremamente duráveis, porém, com um hardware quase intocável, que obriga o usuário a trocar sua máquina (muito boa) de tempos em tempos, o que é uma pena. Por isso eu fui de Dell.

DELL latitude 3470

Os Latitude são o meio-termo. Duram mais que os Inspiron.  São máquinas que suportam longos períodos em trabalho constante sem "reclamar".

Não são lindos de apaixonar. Pelo menos não como os Inspiron e os MacBooks... São robustos. Ogros. Mas, segundo o que li, são confiáveis e extremamente capazes.

O modelo que peguei, o 3470, é capaz de trocar o HD, a RAM, e, salvo engano, a placa de Wi-Fi (deste último dado não tenho certeza). A bateria é externa, então dá pra comprar duas e trocar assim que chegar a um estado crítico. Pedi que adicionassem um teclado retro-iluminado e uma tela Full HD.

Os specs completos são:

  • Processador Intel Core i7 (6500U), Dual Core, de 2.5 ~ 3.1 GHz;
  • Memória cache de 4 Mb;
  • Placa de vídeo integrada Intel HD Graphics 520;
  • Placa de vídeo dedicada NVIDIA GeForce GTX 920M (2 Gb);
  • Memória RAM DDR3L, Dual Channel, 8 Gb, 1600 MHz;
  • Armazenamento em Disco Rígido SATA de 1TB, em 5400 RPM;
  • Sistema operacional original: Windows 10;
  • Sistema operacional em uso: Ubuntu 16.04;
  • Sem entrada para CD, DVD e mídias externas em formato disco.

Uma novidade é o sistema operacional. Voltei ao Linux. Estou usando o Ubuntu agora. Eu usei Ubuntu em meados de 2009... Foi nostálgico novamente iniciar um computador com um sistema que gostei bastante de usar um tempo atrás.

Agora, é trabalhar pra mudar pelo menos o armazenamento. Tentar colocar um disco de estado sólido e acredito estar pronto para os próximos 5 anos.

No mais,  é isto.
Um abraço!

    Autor: Mejnour

    Estudante do Universo.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *